Você está aqui

Zimbábue

Sharon, paciente em uma sessão de apoio pscicossocial com conselheiro de MSF em Mbare. (Foto: Charmaine Chitate)
Zimbábue
Paises em que MSF atua

Médicos Sem Fronteiras (MSF) continua a preencher as lacunas na assistência à saúde no Zimbábue, onde o subfinanciamento crônico do setor de saúde levou à escassez de medicamentos e suprimentos essenciais e à deterioração das instalações.

A situação socioeconômica permaneceu instável em 2019, com a inflação anual estimada em mais de 500% e professores, médicos e outros funcionários públicos tomando as ruas para protestar contra os salários. Houve detenções frequentes e os médicos entraram em greve de quatro meses. Além disso, uma seca contínua levou a colheitas malsucedidas, tornando a insegurança alimentar um problema real.

Harare

Na capital, Harare, oferecemos assistência à saúde sexual e reprodutiva para adolescentes por meio de nossa clínica no subúrbio de Mbare. Em 2019, realizamos consultas com mais de 5.900 adolescentes com idade entre 10 e 19 anos, incluindo pessoas vulneráveis portadores de deficiência. Uma campanha de promoção de saúde nas redes sociais levou a um melhor alcance e cobertura.

Há frequentes surtos de cólera e febre tifoide na cidade, devido à insegurança do abastecimento público de água. Utilizando tecnologia inovadora de poços e capacitando as comunidades a gerenciar seus próprios pontos de água, MSF desenvolveu um kit de ferramentas de saúde ambiental para fornecer água potável em bairros vulneráveis. Em 2019, perfuramos três novos poços e treinamos três clubes comunitários em três subúrbios. O kit de ferramentas desenvolvido no Zimbábue foi implantado no Malaui e em Moçambique.

MSF também participou de uma campanha de vacinação contra a febre tifoide na cidade e 320 mil pessoas foram imunizadas.

Província de Manicaland

Na província de Manicaland, administramos serviços para doenças não transmissíveis por meio de um modelo baseado em enfermarias em clínicas rurais, aproximando assim o tratamento dos pacientes. Em 2019, 3.800 pacientes com diabetes moderado/grave e hipertensão receberam cuidados em instalações apoiadas por MSF, incluindo 120 pacientes em uso de insulina. Após o ciclone Idai ter atingido o distrito de Chimanimani, fornecemos estabilização de feridas, cuidados de saúde mental e atividades de água e saneamento. Também participamos da campanha de vacinação contra cólera liderada pela Organização Mundial da Saúde e autoridades sanitárias.

Província de Masvingo

No distrito de Gutu, realizamos cerca de 6 mil exames de câncer do colo do útero em seis centros de saúde. Mais de 13 mil meninas com idades entre 10 e 15 anos foram vacinadas contra o papilomavírus humano (HPV), uma das principais causas do câncer de colo de útero. Em 2019, quase 200 mulheres receberam tratamento contra o câncer.

Em setembro, após três anos apoiando as autoridades de saúde para aumentar o acesso ao tratamento de HIV e tuberculose em Mwenezi, um dos distritos mais remotos da zona rural do Zimbábue, repassamos o programa ao Ministério da Saúde e Cuidado Infantil. No momento da transferência, mais de mil pessoas estavam recebendo tratamento para HIV. Os 289 pacientes inscritos no novo modelo de distribuição, em que agentes comunitários de saúde treinados distribuem a medicação antirretroviral, também foram transferidos às autoridades de saúde.

Assistência para migrantes que retornam

Prestamos serviços médicos em um centro de acolhimento em Beitbridge para quase 2.500 migrantes regressados, provenientes principalmente do campo de detenção de Lindela, na África do Sul. Também mantivemos serviços de extensão em pontos informais de passagem de fronteira, onde tratamos mais de 2.600 pacientes.

Meninas de 10 a 15 anos vacinadas contra o papilomavírus humano
13.000

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar