Você está aqui

Somália

Enfermeira alimenta criança que foi admitida com desnutrição aguda grave no hospital apoiado por MSF em Puntland, na Somália. (Abdikarim Tahir/MSF)
Somália
Paises em que MSF atua

Devido ao conflito prolongado, à seca e a outros desastres ambientais, mais de 2,6 milhões de pessoas ainda estavam deslocadas na Somália e Somalilândia em dezembro de 2019, e quase 5 milhões estavam em situação de perigo alimentar.¹

O acesso à assistência médica permaneceu limitado em partes do país, as taxas de desnutrição entre crianças estavam bem acima do limite de emergência em muitas áreas e o número de mortes durante a gravidez e o parto foi classificado entre os mais altos do mundo.

Ao longo do ano, Médicos Sem Fronteiras (MSF) continuou implementando novas operações em toda Somália e Somalilândia, apoiando atividades médicas em hospitais em vilas e cidades, com foco em cuidados maternos, pediátricos e de emergência, nutrição e diagnóstico e tratamento de tuberculose (TB). Também mantivemos clínicas móveis para pessoas deslocadas internamente.

Para atender às necessidades de saúde de mulheres e crianças, apoiamos a maternidade do hospital regional Bay em Baidoa, estado no sudoeste, e iniciamos as atividades no departamento de pediatria.

Em Baidoa, MSF realizou uma campanha para tratar fístula obstétrica, atendendo 34 mulheres com essa condição estigmatizante para a qual não há serviços disponíveis no sistema público de saúde. Nosso objetivo é realizar campanhas semelhantes em outras partes do país em 2020.

Também ampliamos o atendimento médico para mulheres e crianças em Galkayo, uma cidade no centro da Somália dividida administrativamente entre os estados de Puntland e Galmudug, onde retomamos as operações pela primeira vez depois de retornar ao país em 2017. Além disso, uma equipe começou a assistir partos e gestações complicadas no hospital em Las Anod, uma cidade na Somalilândia.

Em Galkayo Norte, intensificamos nossas atividades médicas no hospital regional de Mudug, a principal unidade para encaminhamento da cidade e levamos clínicas móveis a áreas onde há deslocamento. Nossas equipes trabalharam no tratamento de pacientes com tuberculose, uma doença altamente prevalente que se espalha facilmente em condições de vida superlotadas. No final de 2019, iniciamos apoio ao hospital Galkayo South.

Em 2019, lançamos um novo projeto de TB na Somalilândia, apoiando o tratamento da forma multirresistente a medicamentos da doença em um hospital dedicado em Hargeisa e colaborando com centros de TB em Burao, Berbera e Borama.

Além de nossos programas regulares de desnutrição em Galkayo e Las Anod, frequentemente realizamos atividades curtas com foco em cuidados nutricionais para crianças desnutridas, bem como fornecemos vacinas, cirurgia ocular e treinamento de pessoal em Afmadow e Bardhere, no sul do estado de Jubaland.

Pela primeira vez desde 2012 e após nosso retorno ao país, conseguimos lançar uma resposta de emergência em um local sem projeto regular. Nos últimos dois meses do ano, respondemos a severas inundações no estado de Hirshabelle central. A cidade de Beledweyne, onde as margens do rio Shabelle transbordaram, foi a área mais afetada, com aproximadamente 270 mil pessoas deslocadas.

Na primeira fase da resposta, MSF transportou água potável segura e entregou barracas e itens de emergência, como utensílios de cozinha e sachês de alimentos terapêuticos. Na segunda fase, as equipes descontaminaram poços de água e prestaram atendimento médico por meio de clínicas móveis em áreas de deslocamento pela cidade, incluindo suporte nutricional para crianças desnutridas.

 

¹ Painel Humanitário OCHA, dezembro de 2019

Consultas ambulatoriais
Admissões de crianças em programas de nutrição ambulatorial
Partos assistidos
Pessoas iniciaram o tratamento de tuberculose
111.700
3.000
2.600
57

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar