Você está aqui

Mianmar

Equipe de MSF celebra o Dia Mundial de Combate à Tuberculose junto com pacientes na clínica de HIV de MSF em Mytkina, no estado de Kachin, em 2016. (Aye Pyae Sone/MSF)
Mianmar
Paises em que MSF atua
Em Mianmar, Médicos Sem Fronteiras (MSF) continuou a oferecer tratamento para HIV e hepatite C e ajudar pessoas vulneráveis afetadas pelo conflito.

Em 2019, conduzimos atividades em todo o país, abordando lacunas na saúde em comunidades de difícil acesso e respondendo às imensas necessidades das pessoas afetadas por tensões interétnicas e deslocamento.

Conflitos e deslocamento

Mais de 50 mil pessoas foram deslocadas em 2019 e vários civis morreram, incluindo crianças, como resultado dos combates contínuos entre o exército de Mianmar e o exército étnico Arakan, apoiado por Rakhine, no estado de Rakhine. Após vários meses de impasse devido à recusa das autoridades em conceder acesso a organizações humanitárias internacionais, MSF conseguiu retomar as atividades de assistência aos deslocados, primeiro em Buthidaung, em junho, e depois em Maungdaw, em novembro. Além de manter clínicas móveis e conduzir sessões de educação em saúde e apoio psicossocial, nossas equipes distribuíram itens de primeira necessidade, como mosquiteiros, cobertores e sabonete, e construíram abrigos e sistemas de saneamento.

Continuamos trabalhando nos campos de deslocados no município de Pauktaw, no centro de Rakhine, onde milhares de rohingyas e outras minorias étnicas, como Kaman, permanecem confinados como resultado de surtos de violência anteriores. Implantamos sete clínicas móveis que oferecem cuidados gerais de saúde e encaminhamentos de emergência em torno desses assentamentos e nas aldeias vizinhas, bem como em Aung Mingalar, um gueto muçulmano em Sittwe, onde também conduzimos um programa de saúde mental.

MSF também abriu dois novos subprojetos em Kachin e Shan, estados vizinhos no norte do país, onde há um grande número de migrantes, pessoas deslocadas e grupos vulneráveis à infecção pelo HIV, como usuários de drogas e trabalhadoras do sexo. Nossos serviços incluem assistência geral à saúde e tratamento para violência sexual e de gênero, HIV, hepatite C e tuberculose (TB).

HIV e hepatite C

Trabalhamos em estreita colaboração com o Ministério da Saúde para transferir as pessoas com HIV que atendemos – incluindo aquelas co-infetadas com hepatite C, TB e TB multirresistente a medicamentos (TB-MDR) – para o programa nacional descentralizado de Aids, para que possam receber cuidados mais perto de suas casas. Um total de 8.012 pessoas de nossos projetos em Kachin, Shan e Yangon foram transferidas. Em junho, fechamos a clínica Insein, em Yangon, após um repasse bem-sucedido.

Em Dawei, uma cidade portuária em Tanintharyi, onde vivem muitos pescadores e migrantes, MSF oferece cuidados, tratamento e prevenção abrangentes contra HIV para pessoas em risco.

Em 2019, em Kachin, também começamos a trabalhar em parceria com a organização Médicos do Mundo para tratar pessoas com HIV co-infectadas com hepatite C. Nossa equipe oferece suporte técnico, acompanhamento e gerenciamento de dados médicos.

Assistência médica em comunidades remotas

Nossas equipes móveis fornecem assistência médica geral às comunidades rurais em Naga (Sagaing), uma região remota e empobrecida com poucas instalações de saúde. Em 2019, nossas equipes realizaram 3.250 consultas ambulatoriais em vilarejos, viajando de motocicleta por terrenos íngremes para chegar às 15 comunidades que almejávamos. Estamos trabalhando nestes locais para fortalecer o papel dos agentes comunitários de saúde, promover a educação em saúde e apoiar o Ministério da Saúde com um diagnóstico mais simples e preciso de TB e TB-MDR.

MSF atua no país desde 1992.

Dados de 2019:

Consultas ambulatoriais
Pessoas receberam tratamento ARV de primeira linha
Pessoas começaram o tratamento para TB
41.000
15.100
430

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar