Você está aqui

Quirguistão: confrontos na fronteira deixam milhares desabrigados e em estado de choque

12/05/2021
Pelo menos 30 mil pessoas foram deslocadas e muitas têm demonstrado sinais de ansiedade e angústia
Quirguistão: confrontos na fronteira deixam milhares desabrigados e em estado de choque

Foto: MSF

Cerca de 30 mil pessoas nos distritos de Batken e Leilek, no Quirguistão, foram forçadas a abandonar seus vilarejos depois que confrontos violentos, incluindo trocas de tiro, ocorreram entre as forças armadas do Quirguistão e do Tadjiquistão no fim de abril. Em uma visita à área fronteiriça de Batken, uma equipe da organização médica internacional Médicos Sem Fronteiras (MSF) viu casas, escolas e clínicas que haviam sido totalmente incendiadas.

Do lado do Quirguistão, muitos dos deslocados foram evacuados para a cidade de Batken, onde buscaram abrigo em escolas, mesquitas e hotéis; outros, especialmente do distrito vizinho de Leilek, foram acolhidos por famílias anfitriãs. Algumas pessoas já voltaram para seus vilarejos, mas a maioria ainda está deslocada.

Uma equipe médica móvel de MSF enviada para a cidade de Batken encontrou muitos dos deslocados em estado de choque após a destruição de suas casas e negócios. A equipe está oferecendo cuidados básicos de saúde, enquanto três psicólogos de MSF especializados em traumas mentais oferecem sessões de aconselhamento individual. Em duas semanas, até o dia 7 de maio, a equipe de MSF na cidade de Batken realizou 363 consultas e 103 sessões de aconselhamento.

“Nosso trabalho visa prevenir transtornos de estresse pós-traumático entre os deslocados”, disse o psicólogo de MSF Zhazgul Atagulova. “A maioria das pessoas mostra sinais de angústia, ansiedade ou reações agudas de estresse, enquanto outras apresentam sintomas de angústia crônica e depressão, visto que conflitos e tensões na fronteira são frequentes nesta região.”

Além de trabalhar na cidade de Batken, MSF também planeja prestar assistência médica nas áreas rurais do distrito de Leilek, com foco nos vilarejos ao redor dos hospitais de Kolundu e Samarkandek, onde a infraestrutura de saúde terá dificuldade para lidar com o aumento da demanda por serviços. Nos próximos dias, MSF enviará 18 equipes médicas, incluindo médicos, psicólogos e especialistas em promoção de saúde, para a região.

“Muitas pessoas estão traumatizadas e em choque”, disse Kevin Coppock, coordenador de MSF no Quirguistão. “Os distritos de Batken e Leilek sofreram danos significativos. Estamos apoiando as autoridades de saúde na prestação de serviços básicos de saúde e atendimento psicossocial às famílias afetadas pelo conflito.”

As equipes de MSF no Tadjiquistão têm monitorado os acontecimentos de perto e estão em contato com as autoridades, prontas para prestar assistência, caso seja necessário.

 

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar