Você está aqui

Madagascar: MSF intensifica resposta à crise nutricional na região Sul

13/07/2021
Em meio à necessidade de maior resposta urgente, equipes atuam com clínicas móveis, distribuição de alimentos e água, além de um centro de alimentação terapêutica em um hospital da região.
Madagascar: MSF intensifica resposta à crise nutricional na região Sul

Foto: Erwan Rogard/MSF

As pessoas no sul de Madagascar estão passando por uma crise alimentar e nutricional excepcionalmente aguda que está deixando milhares de crianças gravemente doentes e levando famílias inteiras à pobreza extrema. Desde março de 2021, as equipes de emergência de Médicos Sem Fronteiras (MSF) estão montando mais e mais clínicas móveis para fornecer assistência humanitária e médica em vários distritos da região. Os profissionais já começaram a distribuir alimentos e, recentemente, abriram um centro de alimentação terapêutica para pacientes internados no hospital da cidade de Ambovombe.

Foto: Erwan Rogard

Após anos de secas consecutivas, as perspectivas para a colheita, que em tempos normais já estariam bem encaminhadas, são extremamente ruins - segundo a FEWS NET, a produção de alimentos deve ser até 70% menor do que a média dos últimos cinco anos. Embora possa haver variações entre os distritos - dependendo se eles estão nas terras altas ou nas planícies áridas, se há um sistema de irrigação instalado ou se a ajuda está chegando à população - a situação continua sendo catastrófica na região onde as equipes de MSF trabalham. Também há preocupações para os próximos meses, já que a crise pode se agravar ainda mais com o início da “estação de escassez” - entre o tempo de plantio e colheita, quando as oportunidades de emprego são menores e há queda na renda - em outubro.

Distribuições de alimentos

“Estamos vendo crianças desnutridas lutando para recuperar o peso após semanas de tratamento em nossas clínicas móveis. O atendimento médico que prestamos e os alimentos terapêuticos que diferentes organizações vêm distribuindo não são suficientes para reverter a tendência em um ambiente com tão pouco acesso à comida. Um grande aumento na assistência alimentar emergencial é uma prioridade absoluta”, disse o coordenador de programas de emergência de MSF, Bérengère Guais, que acaba de visitar Madagascar.

Foto: Erwan Rogard

Além de fornecer tratamento para a desnutrição e suas complicações médicas, em junho, MSF começou a distribuir alimentos terapêuticos às famílias de pacientes desnutridos para ajudar a restaurar seu acesso à comida. Uma porção contém aproximadamente 66kg de arroz, feijão, óleo e sal, o suficiente para cobrir as necessidades de uma família por um mês. Nossas equipes já distribuíram 1.588 porções (cerca de 104 toneladas de alimentos), que serão renovadas nos próximos meses.

Clínicas móveis

Clínicas móveis que oferecem triagem e tratamento para desnutrição aguda estão instaladas em mais de 15 locais nas regiões de Anôsy e Androy (14 no distrito de Amboasary e 3 no de Ambovombe). Nossas equipes trataram 4.339 pessoas com desnutrição aguda moderada ou grave desde o início do atendimento médico, no final de março.

Foto: Erwan Rogard

A condição das crianças desnutridas é agravada por uma série de doenças associadas, principalmente a malária, que afeta 22% dos nossos pacientes jovens, infecções respiratórias (18%) e diarreias (14%).

No sudoeste da ilha, outras avaliações de necessidades e iniciativas de triagem de desnutrição estão sendo conduzidas e serão estendidas às regiões de Androy e Atsimo-Andrefana nos próximos dias.

Centro de internação para crianças que sofrem de desnutrição aguda grave e complicações associadas aberto no hospital de Ambovombe

Trabalhando em parceria com as autoridades locais, nossas equipes iniciaram a construção de um centro de alimentação terapêutica para pacientes internados no hospital de Ambovombe para aumentar o atendimento a crianças hospitalizadas com desnutrição crítica. Começando com 40 leitos (já está em curso uma extensão para duplicar este número), o centro está agora aberto para atendimento.

Em 21 de junho de 2021, foram internados os três primeiros pacientes acompanhados de suas mães e, ao final da primeira semana após a inauguração, 28 crianças já haviam recebido tratamento.

Melhorar o acesso à água

Um terço das crianças desnutridas que tratamos em nossas clínicas móveis no distrito de Amboasary também sofre de diarreia ou parasitose, o que indica falta de fornecimento de água potável.

Desde março, MSF distribuiu 190 mil litros de água, 2.872 galões e 3.870 barras de sabão. Nossas equipes consertaram 11 bombas manuais em instalações já existentes e mais 7 estarão funcionando novamente em breve. As obras de construção de 9 poços com bombas manuais já começaram e devem ser concluídas em julho e agosto. Também estamos estudando a instalação de poços em 24 locais.

 

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar