Você está aqui

Afeganistão: casos de COVID-19 permanecem estáveis em Herat, mas situação precisa ser monitorada

19/02/2021
O alto custo dos serviços de saúde privados e a falta de informações sobre o novo coronavírus dificultam o combate à pandemia
Afeganistão: casos de COVID-19 permanecem estáveis em Herat, mas situação precisa ser monitorada

Foto: MSF

Em função de um aumento do número de casos graves de COVID-19 em Herat, oeste do Afeganistão, Médicos Sem Fronteiras (MSF) reabriu, no dia 2 de dezembro, seu centro de tratamento de COVID-19 no Hospital Gazer Ga, que é a estrutura de referência do Ministério da Saúde. Atualmente, a média de novas internações caiu para cerca de quatro pacientes por dia.

O centro de tratamento de COVID-19 de MSF foi inaugurado no dia 28 de junho de 2020, para reforçar a resposta à primeira onda da pandemia, e foi fechado no final de setembro. Agora reaberto, centro de tratamento de COVID-19 de Gazer Ga tem 20 leitos, incluindo uma unidade de 10 leitos com capacidade para oxigênio de alta dependência. A capacidade pode ser ampliada para 32 ou até 48 leitos, dependendo da evolução da pandemia. Desde o início do inverno afegão, o número de pacientes graves admitidos com necessidade de oxigênio manteve-se estável no centro. “MSF continua acompanhando atentamente a evolução da COVID-19 em Herat, com o Ministério da Saúde e outros parceiros, a fim de adaptar nossa atividade às necessidades”, disse Melusi Mabhena, enfermeira-chefe de MSF no combate à COVID-19 na região.

Entre os dias 2 de dezembro de 2020 e 31 de janeiro de 2021, 258 pacientes foram admitidos na unidade de Gazer Ga. Destes, 246 já tiveram alta, 19 foram encaminhados para outros serviços e sete morreram.

O primeiro caso de COVID-19 no Afeganistão foi registrado no final de fevereiro em Herat. O vírus então se espalhou rapidamente para toda a província e vizinhança em março, quando dezenas de milhares de trabalhadores migrantes cruzaram a fronteira do Irã de volta ao Afeganistão, fazendo de Herat sua rota de trânsito para voltar para suas províncias. De acordo com dados oficiais do Ministério da Saúde, Herat continua sendo a segunda província mais afetada, depois de Cabul, com mais de 9.143 casos confirmados e cerca de 424 mortes notificadas.

Acesso à saúde, um desafio em Herat

O custo da saúde privada na cidade de Herat dificulta ainda mais a vida dos pacientes. Na maioria dos casos, considerando a situação socioeconômica geral das pessoas, os pacientes não podem arcar com o custo do tratamento em unidades de saúde privadas.
“Eu não teria condições financeiras de pagar pelo tratamento. Estamos no inverno, então, há menos empregos. Às vezes, meus filhos encontram trabalho, mas nem sempre. Nós nos viramos para passar o dia. Mas com tudo isso (tratamento e internação), perdemos muito dinheiro. Meus filhos tiveram que pedir emprestado”, diz Abdul Qader, paciente no centro de tratamento de COVID-19 no Hospital Gazer Ga.

Na clínica para deslocados internos nos arredores da cidade, equipes de MSF também começaram recentemente a fazer testes de diagnóstico rápido para pacientes vindos das áreas de Kahdestan, Shaidayee e Sharak-e-Sabz.

MSF realiza atividades de triagem e diagnóstico desde abril de 2020 no hospital regional de Herat. Nas últimas semanas, o número de consultas atingiu a média de 74 pacientes por dia, a maioria deles estimulada a se isolar em casa e acompanhada por telefone em dias específicos para monitorar seu progresso; caso não haja nenhum avanço em seu estado de saúde, eles são aconselhados a retornar ao hospital regional.
Nas últimas quatro semanas, 132 pacientes graves de COVID-19 foram encaminhados ao centro de tratamento de COVID-19 de MSF em Gazer Ga e 34 pacientes ao centro de tratamento em Shaidayee, administrado pelo Ministério da Saúde e pela Agência de Assistência e Desenvolvimento.
Melhorar a conscientização do público sobre os sintomas da COVID-19

A conscientização do público sobre os sintomas da COVID-19 permanece muito limitada na província de Herat e a falta de informações sobre o vírus tem sido presente na comunidade desde que o primeiro caso foi detectado na província. Como é inverno, o centro de COVID-19 de MSF observou que a maioria dos pacientes com o vírus pensava que estava com gripe. E a maioria tinha um conhecimento muito limitado sobre as medidas de prevenção e controle de infecção.

Para conscientizar os pacientes sobre os sintomas da COVID-19, as equipes de MSF na unidade de triagem do hospital regional de Herat, no centro de tratamento de COVID-19 Gazer Ga e na clínica para deslocados internos vêm realizando atividades de promoção de saúde.

 

Leia mais sobre

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar