Kelly Cavalete, enfermeira, conta sobre o seu retorno a Moçambique

Parte 4- 12 de setembro de 2011, Maputo, Moçambique

Já estamos em Setembro, o tempo tem passado rápido com tanto trabalho por aqui.

A cólera acabou, felizmente, e agora seguimos com nosso projeto.

A equipe de expatriados está muito forte, bons profissionais e todos trabalhando numa só linha. A produtividade é clara, mesmo com tanta lentidão nos processos burocráticos dos setores públicos aos quais somos obrigados a aderir, devido ao nosso tipo de projeto.

Chamamos essa forma de trabalhar de projeto horizontal, apoiamos as unidades de saúde já existentes do governo. Esse tipo de projeto pode ser cansativo e frustrante, dependendo das expectativas criadas, por isso é preciso ter muita paciência e comunicação para conseguir atingir os objetivos.

Na minha posição de coordenadora de projeto, o contato com as autoridades é essencial, preciso estar em dia com os protocolos, com as nomeações e com os planos de ações. Particularmente, ser brasileira me ajuda, pois a comunicação fica muito mais fácil.

Nesse mesmo período de tanto trabalho, completei um ano de missão e fui visitar a família no Brasil. Foi bom para me reenergizar e voltar ao trabalho para mais um ano. Meu filho de 16 meses ficou muito feliz de voltar para Moçambique e rever os amiguinhos e a casa, parece que se sente Moçambicano.

Agora, de retorno à Moçambique, o inverno já está acabando, estamos em tempo de planejar as atividades de 2012 no nosso projeto.

Partilhar
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on print

Relacionados

Como ajudar

It seems we can't find what you're looking for.