Você está aqui

Síria: MSF conclui projeto em hospital após 8 anos, mas segue atuando no noroeste do país

31/08/2020
MSF segue fornecendo serviços básicos de saúde em Azaz para dezenas de milhares de pessoas deslocadas
Síria: MSF conclui projeto em hospital após 8 anos, mas segue atuando no noroeste do país

Foto: Mahmoud Abdel-rahman/MSF

Depois de quase oito anos, Médicos Sem Fronteiras (MSF) entregou suas atividades no hospital Al-Salamah, em Azaz, noroeste da Síria. Nossas equipes montaram a unidade de saúde em uma antiga escola, quando o conflito no país se transformou em uma guerra civil e a população começou a fugir em massa da linha de frente para áreas como Aleppo, 30 km ao sul do hospital.

“Agora, oito anos depois, a guerra ainda continua. As vidas de centenas de milhares de pessoas foram perdidas e outros milhões foram forçados a deixar suas casas”, disse Manuel López, chefe da missão de MSF na Síria. “Mas a situação mudou e as necessidades humanitárias que nos levaram a iniciar as atividades podem ser atendidas por outras organizações. Também há mais unidades de saúde que as pessoas podem acessar. Apesar disso, as necessidades humanitárias na região continuam enormes, especialmente para as centenas de milhares de pessoas deslocadas.”

As atividades no novo hospital cresceram rapidamente após sua inauguração devido às necessidades na região. Elas atingiram um pico em 2015, quando a piora da situação em Aleppo tornou ainda mais difícil para as pessoas na parte norte ter acesso a instalações de saúde em funcionamento. O hospital Al-Salamah se tornou a maior instalação de MSF administrada diretamente na Síria. Entre 2016 e 2018, foram realizadas cerca de 300 mil consultas ambulatoriais e mais de 10 mil cirurgias.

O prédio que antes abrigava a escola local é hoje um hospital em funcionamento com 25 leitos, oferecendo uma variedade de serviços, incluindo pronto-socorro e unidade de internação.

Nos últimos meses, MSF começou a reduzir sua presença no hospital, mas nossas equipes ainda estavam trabalhando em departamentos importantes que agora foram entregues às autoridades de saúde locais e à Syrian American Medical Society, uma ONG que apoia atividades médicas no norte da Síria.

As equipes de MSF permanecerão em Azaz para fornecer serviços básicos de saúde para dezenas de milhares de pessoas deslocadas que vivem em condições extremamente difíceis nos diversos campos e assentamentos, onde a nova pandemia de COVID-19 apenas piorou uma situação já terrível.

Nas províncias de Idlib e Aleppo (noroeste da Síria), MSF apoia e coadministra vários hospitais e unidades de saúde. Além disso, nossas equipes operam regularmente clínicas móveis e distribuem itens de socorro nos muitos campos de deslocados e assentamentos não oficiais na região.

No nordeste da Síria, o trabalho de MSF inclui o apoio a hospitais nacionais (Raqqa e Mishlab) e em Hassakeh com preparação para a COVID-19. Em Kobane, apoiamos vacinações de rotina. No acampamento Al Hol, realizamos diversas atividades e, em julho de 2020, abrimos uma clínica de saúde primária.

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar