Você está aqui

MSF reitera pedido para atuar em comunidades indígenas do Mato Grosso do Sul

20/08/2020
Proposta original da organização para trabalho na região de Aquidauana não foi aceita pela SESAI

Médicos Sem Fronteiras (MSF) apresentou ontem às autoridades responsáveis pela saúde indígena um novo plano de trabalho para atuação em comunidades da região de Aquidauana, no Mato Grosso do Sul (MS), uma vez que a primeira proposta foi recusada.

A nova proposta prevê a realização de ações coordenadas com o DSEI (Distrito Sanitário Especial Indígena) de MS, contemplando visitas a comunidades com profissionais de saúde, com foco na prevenção e detecção de casos suspeitos de COVID-19, encaminhamento dos doentes para tratamento e apoio em saúde mental para comunidades e trabalhadores de saúde locais. Potencialmente, a proposta engloba uma população de cerca de 6 mil pessoas em 11 comunidades indígenas.

Nesta semana, a SESAI (Secretaria Especial de Saúde Indígena) rejeitou a primeira proposta feita por MSF, que se dispunha a atuar em sete comunidades, beneficiando potencialmente uma população de cerca de 5 mil pessoas. Em resposta ao plano de MSF, a SESAI autorizou que MSF trabalhe apenas na Comunidade Aldeinha, no município de Anastácio, a menos de 5 km de Aquidauana e com uma população estimada em cerca de 500 pessoas. Aldeinha não fazia parte da proposta inicial de MSF.

Na nova proposta, o plano de trabalho foi revisado e Aldeinha foi incluída, além de mais três comunidades, mantendo as sete originais. Na visão de MSF, a contribuição da organização será mais relevante incluindo outras comunidades. No trabalho que realizamos previamente à elaboração do plano, fizemos  consultas com diversas autoridades. Detectamos dificuldades de acesso à saúde em diversas comunidades indígenas e recebemos pedidos de ajuda vindos de suas lideranças.

A proposta de MSF é atuar de forma flexível e coordenada com as autoridades locais. Vale também assinalar que a organização tem  plena consciência da necessidade de evitar a expansão do contágio em territórios indígenas. MSF possui rigorosos protocolos de prevenção e controle de infecções que vem aplicando com êxito durante seu trabalho de combate à COVID-19 em todo o mundo.

Estamos à disposição das autoridades do Ministério da Saúde para esclarecer quaisquer dúvidas referentes à nossa proposta.  Esperamos que as autoridades ouçam os pedidos das comunidades atingidas e autorizem imediatamente o ingresso de nossas equipes nos territórios. Nossa experiência com a doença nos impele a pedir urgência na emissão da autorização e superação de obstáculos administrativos para que mais vidas possam ser salvas.

Nota de atualização: Em 24 de agosto, MSF recebeu autorização para ampliar sua resposta à COVID-19 às comunidades indígenas próximas ao município de Aquidauana, no estado do Mato Grosso do Sul. Um novo plano de trabalho apresentado às autoridades responsáveis pela saúde indígena foi aceito pela SESAI (Secretaria Especial de Saúde Indígena). As atividades previstas por MSF devem beneficiar mais de 6 mil pessoas que vivem em 11 comunidades.

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar