Você está aqui

MSF apresenta queixa contra chefe da polícia de Paris

25/11/2020
Forças policiais atuaram com violência extrema contra migrantes na Praça de República
MSF apresenta queixa contra chefe da polícia de Paris

Equipes de Médicos Sem Fronteiras (MSF) estiveram presentes na Praça da República, em Paris, na noite de segunda-feira, 23 de novembro, em apoio aos cerca de 450 migrantes deixados nas ruas após a evacuação do campo de Saint-Denis, em 17 de novembro.

Diante da violência da polícia para com os presentes, será apresentada uma queixa contra o chefe de Polícia de Paris, Didier Lallement, por violência intencional e danos a bens de organizações e exilados.

“Estamos extremamente chocados com a incompreensível violência exercida pelas forças policiais contra os exilados, que exigiam o direito a ter acomodação digna. Não há vontade política de discutir uma solução e tirar essas pessoas das ruas, apenas a vontade de nos dispersar pela força”, explica Corinne Torre, chefe do projeto de MSF na França.

Os 450 migrantes, bem como autoridades, advogados e organizações presentes na Praça da República pediram abrigo para essas pessoas perseguidas pela polícia e forçadas a vagar desde a evacuação do campo de Saint-Denis. Após o confisco brutal das tendas e cobertores, os exilados e alguns de seus apoiadores foram cercados pelas forças policiais, dispersos por bombas e perseguidos pelas ruas por várias horas implacavelmente. Pessoas foram intimidadas, molestadas e feridas pelas forças de segurança que usaram gás lacrimogêneo e cassetetes.

Médicos Sem Fronteiras destaca a responsabilidade do Estado e do Ministério do Interior para acabar com o assédio às pessoas exiladas nas ruas e para lhes garantir um alojamento digno e duradouro, ainda mais agora perto do inverno e durante a pandemia da Covid-19.

MSF usa cookies neste site para melhorar sua experiência.
Saiba mais na

Política de Privacidade. Aceitar